Literacia digital nas Bibliotecas do Médio Tejo

0

Decorreu no dia 20 de dezembro, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, a cerimónia de assinatura dos contratos relativos aos projetos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Serviços das Bibliotecas Públicas – PADES, entre a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas e as Comunidades Intermunicipais do Alentejo Central, do Cávado, da Lezíria do Tejo e do Médio Tejo.

A cerimónia contou com a presença da ministra da Cultura Graça Fonseca e a representar a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, esteve a sua vice-presidente, Fernanda Asseiceira (na foto).

O Programa PADES, que pretende potenciar o impacto direto do trabalho em rede na melhoria da prestação de serviço público das bibliotecas aos cidadãos, tem como objetivo evidenciar o valor social e económico das bibliotecas públicas como lugar de socialização capaz de reforçar a coesão social e de responder às necessidades da população, sobretudo no contexto da inclusão social e digital dos cidadãos.

O projeto foi especialmente concebido para o apoio a projetos elaborados no âmbito das Redes Intermunicipais de Bibliotecas formalmente constituídas e é fruto da implementação de uma nova estratégia para as bibliotecas públicas que assenta no incentivo à criação de redes de bibliotecas de âmbito regional junto das Comunidades Intermunicipais e Áreas Metropolitanas, procurando garantir uma maior articulação entre bibliotecas para a prestação de serviços em rede às populações.

Os projetos apresentados por estas quatro Comunidades Intermunicipais pretendem potenciar o impacto direto do trabalho em rede na melhoria do serviço público prestado aos cidadãos, otimizando recursos disponíveis, rentabilizando e qualificando serviços de cada biblioteca tendo em vista a melhoria do acesso dos cidadãos à informação.

Do trabalho em rede resulta para o cidadão a atenuação de eventuais desequilíbrios através da disponibilização do acesso a serviços e a recursos de biblioteca existentes na comunidade, independentemente do seu município de origem. Assim será possível reduzir custos e ganhar escala, reforçando a identidade regional e coesão territorial sem prejuízo da identidade local.

Pretende-se assim promover o valor social e económico das bibliotecas, como lugar público de socialização, capaz de reforçar a coesão social e de responder às necessidades da população, sobretudo no contexto da inclusão social e digital dos cidadãos.

No Médio Tejo o PADES será, brevemente, implementado nas Bibliotecas Municipais de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sertã, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila de Rei.

In CIMT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here