Sobre as Assembleias Municipais

1
Nas últimas Assembleias municipais têm existido alguns problemas na interpretação do Regimento e na relação com o público que tem participado nestas sessões.
O que aconteceu? como solucionar o problema?
Pedi comentário ao Dr. Eduardo Mendes, antigo líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal.

“Não estive presente caro Armando! Mas a partir do relato do médioiejo,net do muito do que se passou, e  pelo que apurei das conversas que tive. sempre diria:  A resposta do presidente Luís Pereira, cujo texto completo desconheço é um sufisma: então quem é que fixa a ordem de trabalhos? Não é a mesa? E o que é que a treta sobre “eficácia externa” tem a ver com o uso da palavra pelo público? E a assembleia não tem competência para introduzir pontos na Ordem de trabalhos e assim suprir o erro? Sobre a questão dos seguros existentes o que interessa é saber se são ou não mais baratos do que os valores que se poderiam obter no concurso público da Central de Compras da Comunidade intermunicipal, Se não são porque é que só agora se fala em concursos? E como ´que é possivel aprovar a ata da ultima reunião do mandato passado (que devia ter sido aprovada em minuta no final dessa última reunião) depois de já terem cessado o mandato?


A imagem que está a ser dada é, na minha opinião negativa para o prestígio da Assembleia Municipal, que não teve a renovação desejável. O presidente da Câmara e Líder do PSD local não parece ter planeado para além do seu mandato, diria mesmo que é um pouco “quem vier atrás que feche a porta”. Prevejo que a situação da Assembleia Municipal se vá arrastando até ao fim do mandato com tricas e tentativas de ajuste de contas, infrutíferas. E digo infrutíferas porque para obter as respostas certas seria, como um dirigente superior respondeu ao instrutor do processo a um ministro que lhe dizia que ele não estava a dizer tudo o que sabia: Se não digo é porque não me está a fazer as perguntas certas!
Olhem do que eu me livrei!”

1 COMENTÁRIO

  1. Depois de ler o comentário do Dr. Eduardo Mendes sobre o que se tem passado nas Assembleias Municipais, sinto a necessidade de dizer o seguinte. Quando se está na politica, duas coisas se colocam. Primeiro, acredita-se que o projecto politico que se defende é o melhor. Segundo, existem aqueles que para si a política é o vale tudo, e outros, que entendem que existem regras no estado de direito que têm de ser respeitadas e preservadas. O Dr. Eduardo Mendes, sendo defensor de uma politica de direita, (PSD), não deixa de ser uma pessoa, que como o comprova a sua atitude na decisão que tomou em abandonar a Assembleia, merece todo o meu respeito e admiração. Eu, enquanto uma pessoa de esquerda, entendo, que a melhor forma de defender os direitos dos cidadãos deste conselho, é respeitar as normas e as leis existentes, coisa que continua a não existir na Assembleia Municipal actual, assim como, o comprova a decisão do tribunal de Leiria sobre a ilegalidade cometida pelo Presidente da mesa da Assembleia Municipal e todos os Deputados Municipais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here