Requerimento de munícipe sobre fatura da água

1

O Região do Zêzere recebeu do leitor Vitor Mendes um pedido de publicação de um requerimento/exposição ao executivo da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere sobre a faturação de água na empresa Tejo Ambiente. O munícipe ainda não recebeu resposta a esta exposição.

EXPOSIÇÃ0

Dirigida a todo o executivo camarário

Ex. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere
Ex. Senhores Vereadores

A intervenção do Senhor Presidente da Câmara na Assembleia Municipal de Setembro onde divagou na tentativa de esclarecimento sobre a situação atual no que respeita à conta da água a que nós munícipes estamos a ser confrontados, leva-me a pedir os devidos esclarecimentos.
Em primeiro lugar, a decisão de a Câmara entregar certos serviços à empresa Tejo Ambiente é da responsabilidade inicial da Câmara, e como tal, de todos os Senhores vereadores.
Em segundo lugar, como a Assembleia Municipal votou favoravelmente essa opção, passou também ela, a ter essa responsabilidade.
Terceira questão. Que eu saiba, nenhuma força política representada nesses órgãos quando se apresentou ao sufrágio eleitoral, apresentou essa opção aos eleitores.
Não quero dizer com isto que a Câmara ou Assembleia, tenham cometido qualquer ilegalidade.
Foi uma opção política que tomaram.
O problema aqui, é que não foi apresentado aos cidadãos, as razões dessa opção.
E hoje, estamos a ser confrontados com faturas com valores nunca inconcebíveis.
Será que os Senhores consideram que um cidadão que pagava mensalmente uma verba na ordem dos 20 euros., seja agora confrontado com uma fatura de 142,88 euros mês, sem qualquer explicação, considere ser beneficiado.
Disse o senhor Presidente da Câmara, que a empresa de acordo com a lei, só faz uma contagem por ano.
Mas a Câmara quando tinha esta responsabilidade, fazia-o todos os meses.
Não me digam que este é mais um dos benefícios para os cidadãos.
O senhor Presidente da Câmara auto elogia-se por ser formado em contabilidade.
Então explique lá esta contagem da água feita pela vossa empresa.
Fatura no 202010250444 emitida em 19/10/2020.
Numero do cliente – 00899763.
Primeiro escalão de 0 a 5 m cúbicos – 4,8 m cúbicos
Segundo escalão de 6 a 15 m cúbicos – 9,7 m cúbicos
Terceiro escalão de 16 a 25 m cúbicos – 9,7 m cúbicos
Quarto escalão de mais de 26 metros cúbicos – 30,8 m cúbicos.
Se a escala contabiliza de 0/5, 6/15, 16/25, e mais de 26. Como são então feito estas contas.
O que eu verifico, é que 0/5 não corresponde a 4,8. Pois esta formula de contagem leva a que o cidadão vá ter de pagar 6 vezes mais no ultimo escalão, onde o custo por metro cúbico é muito mais caro. Ou não é assim?
O Senhor também falou em estimativa. Explique lá então onde está essa estimativa de que falou nesta fatura.
Faturação do ano de 2020
Fatura emitida em 15/01/2020, valor a pagar – 16,62 euros
Fatura emitida em 12/02/2020, valor a pagar – 13,61 euros
Fatura emitida em 06/03/2020, valor a pagar – 13,38 euros

Fatura emitida em 06/04/2020, valor a pagar – 07,33 euros
Fatura emitida em 07/05/2020, valor a pagar – 07,72 euros
Fatura emitida em 04/06/2020, valor a pagar – 07,83 euros
Fatura emitida em 30/06/2020, valor a pagar – 10,34 euros
Fatura emitida em 31/07/2020, valor a pagar – 09,93 euros
Fatura emitida em 07/09/2020, valor a pagar – 11,16 euros
Fatura emitida em 09/10/2020, valor a pagar – 142,88 euros
Os Senhores bem podem tentar descartar-se da opção que tomaram, mas o resultado está ai.
Há quem diga que depois desta trapalhada se deve por um ponto final parágrafo.
Num concelho envelhecido, rural, onde possivelmente grande parte dos concidadãos terão dificuldades de entendimento e também possivelmente dificuldades financeiras.
Como reagirão a este embate na sua reforma, ou salário.
Pode crer que não gosto nada de ser enganado por quem tem o dever de respeitar, informar, esclarecer, e contribuir para o bem estar das populações.
Por esse motivo exijo ser esclarecido.
Se não existir da vossa parte o devido esclarecimento, considerarei, que me enganaram ou roubaram.
Espero que não me venham dizer para me dirigir a tal empresa e pedir explicações.
A razão é simples.
Foram os senhores que fizeram essa opção, por isso, cabe aos Senhores darem a devida explicação.
Sem outro assunto de momento, fico a aguardar uma resposta.

Pias de Ferreira do Zêzere, 16/10/2020

Vitor Manuel Rodrigues Mendes

1 COMENTÁRIO

  1. Comecemos pela cessão da posição contratual que foi sendo adiada e se concretizou em 1 de junho. Algum ferreirense deu conta de algum funcionário da CM ter tirado a leitura a 31 de maio, o ultimo dia de fornecimento de agua pela CM? Ou melhor, alguem viu algum funcionário da Tejo Ambiente a tirar leitura a 1 de junho? Imagino que não. Posso afirmar que a primeira vez que a Tejo Ambiente fez uma leitura no meu contador foi no dia 15 de agosto (sim, no feriado). Pois o que aconteceu numa outra freguesia foi que a ultima leitura que a CM fez foi no dia 3 de maio e curiosamente a fatura que emitiu para esse mês reporta uma leitura real a 31 de maio. Com isto, ficou por faturar pela CM um mês de consumo de água (com a redução de tarifa aprovada em virtude da COVID). Mas há mais. Durante a pandemia não houve leituras todos os meses, apesar de serem referidas leituras reais nas faturas. Assim, o consumo acumulado foi agora faturado pela Tejo Ambiente. Como não fizeram leituras de meses completos contaram os dias e repartiram pelos meses que já passaram e assim surgem contas de 100, 200, 300 e até 500 euros. O que fica deste processo é que nunca houve um meio de comunicação social regional que tivesse falado neste processo que já vem de há muito tempo, ninguém questionou em tempo em que moldes se iria processar essa cessão de posição e o resultado está aqui.Temos uma adesão envolta num secretismo inexplicável, mas aqui também a oposição andou mal. Soube que estaria em curso esta alteração no inicio do ano passado e tentei obter mais informação mas ela não estava disponivel. Tive a oportunidade de questionar a oposição sobre o que se esrava a passar e também eles não conheciam o processo mas também me parece que nunca se interessaram em saber. Simplesmente um não assunto. Bastou o aceno dos euros que viriam dos fundos europeus que seriam mais faceis de obter pela nova entidade para se achar que aqui estava uma galinha dos ovos de ouro. Não importou a que preço até porque esse quem paga os desmandos dessa fente somos todos nós. Mas está tudo bem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here